Uma mensagem da ASCOM para todas as mulheres do campus Curitiba

Constantemente ouvimos pelo campus Curitiba que não há mulheres em cargos de chefias e/ou que há poucas mulheres nesses cargos na UTFPR.
O campus não tem dados de como essa questão era tratada na instituição há dez ou vinte anos, por isso, não há como fazer uma comparação. Portanto, enquanto temos plena consciência de que, sim, ainda há um longo caminho a percorrer em busca da equidade dentro do campus Curitiba, neste dia da mulher, entrevistamos duas mulheres que chefiam setores dentro do campus.

“Na minha opinião, no mundo ideal não precisaríamos de um ‘dia da mulher’. O mundo nos fez diferentes: podemos ser mães (se esta for a escolha). O que não se pode escolher é o onde nascemos, há inúmeros lugares que as mulheres não têm direito nem de mostrar o rosto, e isso é muito triste. Apesar de tudo, no Brasil temos direito a educação – vejam só – podemos ser engenheiras. Porque no trabalho as pessoas têm sensibilidades, forças e fraquezas e capacidades diferentes e não por causa do gênero. Que hoje seja um dia de orgulho para todas”, disse Annemarlen Gehrke Castagna, professora e coordenadora do curso de Engenharia de Controle e Automação.

Ao assumir a chefia do Departamento Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo (DEAAU), a professora Stella Maris da Cruz Bezerra declarou: “somos agora dezesseis chefes de departamentos acadêmicos aqui no campus Curitiba, mas apenas três mulheres. Pergunto: qual o motivo? Muitos podem dizer: ‘elas’ quem não querem! Daí pergunto: e se uma das razões for mesmo isso, qual o motivo para elas não quererem? Bem, eu posso dizer por mim uma coisa: só agora estou num ambiente de departamento onde existe o respeito, motivação e apoio para estar numa chefia. Sei que terei que lidar com pares – e/ou com colegas em posição superior hierarquicamente – que infelizmente ainda não sabem o que é respeitar uma mulher profissionalmente. Mas, agora como chefe, e principalmente contando com uma professora na Diretoria de Graduação, pretendo fazer o possível para efetivamente colaborar na abertura de mais espaços para as colegas mulheres e, também, contribuir para retirar colegas machistas das posições de comando. É horrível ter que trabalhar com aqueles que fazem piadinhas chauvinistas e abusam de investidas de cunho sexual. Isto é inadmissível e desmotiva muitas mulheres a exercerem posições de liderança! Portanto, esta percepção é que temos condição de contribuir para a igualdade de gênero aqui na universidade.”

Aurea Cristina Magalhães Niada, Diretora de Graduação e Educação Profissional (Dirgrad), contou sobre como é estar em um posto de chefia no campus: “eu me sinto honrada de estar em um cargo de gestão em uma universidade tecnológica federal, como a UTFPR, em que a maioria é homem, tanto os estudantes quanto os colegas. Eu me sinto honrada porque atualmente eu tenho muitas colegas nesses cargos de gestão, como a Rossana Finau (Assessora Executiva do campus Curitiba) que é um exemplo para mim porque eu vejo muita garra nela, é uma mulher que faz as coisas acontecerem, a Vanessa Constance (Assessora de Comunicação e Marketing do campus Curitiba) com quem eu gosto muito de trabalhar, a Maria Lucia (Diretora de Relações Empresariais e Comunitárias), e as outras colegas… É muito legal você ver as mulheres em cargos de gestão e fazendo um trabalho excelente, me sinto honrada por ter essa oportunidade de trabalhar com as pessoas, por estar nessa universidade. Eu também me sinto desafiada porque sempre tem alguma coisa, ainda mais na situação em que a gente vive hoje em dia, mas eu gosto, principalmente, de tentar ajudar as pessoas, tentar ajudar as diversas situações que vão surgindo.”

Neste dia da mulher, nós (da ASCOM do campus Curitiba) gostaríamos de agradecer a dedicação de todas as servidoras, funcionárias terceirizadas, estagiárias e estudantes que, diariamente, fazem, com grande maestria, o campus funcionar. Gostaríamos também de destacar dois pontos: 1) que esta mensagem é para todas aquelas que se reconheçam mulher, sejam cis ou trans; e 2) o respeito para com as mulheres não deve ser lembrado apenas neste dia, mas sim, todos os dias, sempre.

Seguimos em frente construindo um futuro em que a desigualdade de gênero seja apenas parte do passado.

Obrigada, mulheres!

Alexandre Azevedo Perich

Alexandre Azevedo Perich

Aluno do curso Bacharelado em Comunicação Organizacional na UTFPR. Estagiário de comunicação e marketing do campus Curitiba da UTFPR e Fotógrafo desde 2013.