Você sabe o que são e qual a importância das patentes industriais para o funcionamento da UTFPR?

Patentes consistem em documentos formais cuja função é a proteção do direito de propriedade e uso de alguma inovação, de acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE). Na UTFPR, diversas invenções com replicabilidade no setor produtivo são desenvolvidas; assim, o sistema de patentes é extremamente útil para a transferência de tecnologia para a indústria, gerando recursos para a universidade.

Alguns exemplos de invenções desenvolvidas e patenteadas pela UTFPR são: “Dispositivo de Revestimento de Superfícies Metálicas e sua Montagem”; “Sistema Registrador de Consumo para Avaliação de Eficiência Energética” e “Transdutor a Fibra Óptica Baseado em Redes de Bragg Estáveis em Alta Temperatura”.  Muita informação? Vamos explicar cada projeto e suas funcionalidades práticas na indústria nos parágrafos seguintes.

O primeiro projeto citado, “Dispositivo de Revestimento de Superfícies Metálicas e sua Montagem”, foi realizado por meio de um trabalho conjunto entre a Universidade de São Paulo (USP) e a UTFPR.  Paulo Cézar Moselli, engenheiro mecânico e professor do campus Cornélio Procópio da UTFPR, é o representante da Universidade no desenvolvimento do projeto. 

Desenvolvido por Fernando Castaldo, professor do Departamento Acadêmico de Eletrônica (DAELN), o “Sistema Registrador de Consumo para Avaliação de Eficiência Energética”, como o próprio nome sugere, é útil no monitoramento de eficiência energética em quadros de distribuição em instalações elétricas. Castaldo explica, no box (abaixo), os elementos do projeto.

Já o “Transdutor a Fibra Óptica Baseado em Redes de Bragg Estáveis em Alta Temperatura” foi desenvolvido por diversos pesquisadores da UTFPR em parceria com a TRACTBEL, uma empresa internacional da área de engenharia, e é útil no monitoramento de temperatura em mancais e radiadores de geradores elétricos.

Para Ana Paula Myszczuk, professora da Escola de Gestão e Economia e chefe da divisão de propriedade intelectual do campus Curitiba, “Por meio da propriedade intelectual, o sistema jurídico protege as expressões da criação humana, possibilitando a apropriação privada das invenções, obras e produções do intelecto. Nesse segmento encontram-se as patentes, cujos objetivos são: reconhecer a propriedade intelectual do inventor; recompensar o inventor por seu útil serviço; encorajar a indústria e inventores a investir e inovar; e disseminar o conhecimento tecnológico. […] as patentes favorecem os inventores e permitem ao público se beneficiar rapidamente dos inventos que, de outro modo, permaneceria um segredo industrial.”

Segundo o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), a UTFPR, foi em 2018, a décima sexta universidade entre os maiores depositantes de patentes do país.

BOX

Sistema Registrador de Consumo para Avaliação de Eficiência Energética

Segundo Fernando Castaldo, o projeto foi desenvolvido em atendimento a uma demanda Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), onde uma Geradora Termoelétrica tinha como necessidade medir os consumos de energia elétrica dos equipamentos internos da usina, a fim de rastrear a eficiência da geração como um todo. Entretanto, um dos requisitos era que o sistema de medição fosse minimamente invasivo, pois seria instalado posteriormente à construção da usina, logo, não havia previsão de espaço físico nem sistemas de tubulação para levar a fiação dos medidores para a central de controle. Havia ainda o fato de a maioria dos equipamentos estarem abrigados em armários de aço, o que dificultava o manejamento da fiação, bem como o acesso a eles, pois os armários estavam localizados em vários prédios distintos, separados por cerca de 200 metros cada.

Assim, a solução encontrada foi a utilização de links de Rádio Frequência (RF), que não usam fiação, para conduzir as medições para a sala de controle por meio de protocolos específicos de gerenciamento de redes, considerando que várias dezenas de equipamentos deveriam ser monitorados com segurança e confiabilidade. Entretanto, restava ainda o fato de que os equipamentos se encontravam no interior de armários de aço, que causam grande interferência nos sinais de rádio impossibilitando a sua leitura na estação remota. Para resolver essa questão, os sistemas de medição eram cabeados mediante um protocolo de rede específico que interconectava todos medidores presentes em um mesmo conjunto de armários de aço e a partir de um ponto de saída, os sinais agrupados eram transmitidos por links de RF até uma central de roteamento que encaminhava os pacotes de dados para a estação de monitoramento da usina, também por links de RF controlados.

O sistema assim constituído deu origem a uma solução com algum ineditismo o que motivou o depósito do pedido. O sistema desenvolvido pode ser utilizado em monitoramento de variáveis associadas a pontos de medição que estão fisicamente distantes e precisam ser conhecidas para se controlar determinado processo. Cita-se, além das aplicações em indústrias, estações de tratamento de água, resíduos, aterros, silos, fazendas, granjas entre outras.

Francisco Camolezi

Francisco Camolezi

Aluno do curso Bacharelado em Comunicação Organizacional na UTFPR. Assessor de imprensa no campus Curitiba da UTFPR.