Você conhece o Coletor Eletrostático de Perdigotos? É tecnologia no combate à Covid 19

Você sabe o que são perdigotos? Eles são aqueles “salpicos” da saliva, quando falamos ou espirramos. No campus Curitiba da UTFPR, um projeto de Fernando Castaldo, professor do Departamento Acadêmico de Eletrônica (DAELN), atrai e coleta os perdigotos de ambientes em que há circulação de pessoas, destruindo, durante o processo, os vírus que se encontram no local. Além disso, o aparelho é capaz de realizar a completa desinfecção do espaço em alguns minutos.

O professor explica o funcionamento do aparelho: “O coletor conta com um sistema de exaustão que produz um fluxo de ar que circula no ambiente, succionando as partículas e gotículas para dentro do aparelho. A partir de então, aplica-se uma alta tensão aos eletrodos internos que geram cargas que se atracam a essas partículas, tornando-as eletricamente carregadas. Pelo princípio da ação eletrostática, elas são retidas nas estruturas internas e são então iluminadas com luz UV germicida. O ar purificado antes de ser devolvido ao ambiente passa por um filtro de carvão ativado para eliminar o ozônio residual gerado internamente. Este último também é eficaz na eliminação de patógenos. O ciclo é contínuo e o equipamento protege o ambiente à medida que o ar vai sendo filtrado. Diferentemente de outros sistemas de descontaminação, este pode operar com as pessoas presentes no local”.

Segundo Castaldo, “nosso projeto conta com um diferencial construtivo que simplifica a fabricação e não requer uma linha de montagem especializada, o que favorece a produção escalonada em tempos de pandemia. A instalação é muito simples, basta pendurar e ligar na tomada”. O aparelho também é produzido com um custo muito abaixo de qualquer similar já existente, o que o torna ideal para o investimento de instituições e empresas nestes momentos de combate.

Além do coordenador, participam do projeto Gabriel Kovalhuk, também professor do DAELN, e os estudantes Bruno Cruz , Leonardo Furini, Tobias Salazar e Ygor Vasco, além do apoio dos professores do mesmo departamento Tânia Monteiro, Luciane Agnoleti e Daniel Pigato. A equipe produziu um vídeo demonstrando o aparelho, sua função e atuação. Ele pode ser acessado pelo link: