Arte e PianoTec para aquecer a alma, um projeto de Extensão do campus Curitiba

Um projeto de extensão que envolve arte, música e criatividade; este é o PianoTec. Surgido em 2018, foi idealizado e elaborado por Brenno Lima, com o objetivo de criar um grupo de pianistas do campus Curitiba da UTFPR. Inicialmente o projeto era composto de alguns estudantes que já eram conhecidos pelo criador do projeto.

Em entrevista, Brenno comenta que se sentiu surpreso, em 2019, quando abriu audições para quem quisesse participar, sendo da instituição e/ou da comunidade externa, e percebeu uma grande resposta de interesse do público. Posteriormente, em 2020, fizeram o mesmo, mas restringindo a quantidade, devido ao curso ter sido pensado para no máximo 16 pessoas.

 Antes de começar o período de isolamento social, as aulas eram feitas todas quintas-feiras no Laboratório de Piano e Experiência Musical (LAPEM), no formato de aula masterclass (aula dada por um especialista em determinada área de conhecimento), onde, em cada aula de 3 a 4 alunos, tocavam uma obra ao piano. Lima também comenta sobre os encontros do projeto “Todos os alunos participam, dando sugestões, questionando algumas decisões interpretativas que foram escolhidas, sempre com mediação do professor.”

O repertório de obras musicais é escolhido sob orientação do professor, e varia de cada ano de acordo com a proposta. A proposta inicial deste ano seria sobre o repertório do alemão Ludwig van Beethoven e do brasileiro Alberto Nepomuceno.

Brenno também comenta sobre como ficou o projeto durante o período atual de isolamento:  “Me deparei com uma realidade que eu não conhecia. Muitos alunos não possuem inclusão digital, muitos voltaram para a casa dos pais, por exemplo, e lá não têm uma estrutura adequada, e nem acesso à internet. Claro que é minoria, mas eles existem e eles fazem parte da nossa instituição”, tendo, assim, que se adaptar de uma forma que fosse mais inclusiva a todos, e também adaptando as propostas de repertório do ano, abrindo para mais opções que os alunos gostariam de fazer. Atualmente os encontros do PianoTec têm acontecido remotamente. Cada aluno é desafiado a postar um vídeo por semana, o coordenador pode escutar e assistir a performance do estudante, e assim trabalhar de dedilhados até questões como estilo e interpretação.

Finalizando a entrevista, foi perguntado ao coordenador do projeto como ele encarava a importância da arte nesse período de isolamento. E ele responde:

“Está mais do que comprovado que sem a Arte nesse período de confinamento, seria impossível manter a saúde emocional e até física. Há uma explosão de criatividade e as pessoas têm consumido arte como nunca antes.”

A estudante Marcela Lima, do curso de bacharelado em Educação Física do campus Curitiba e também participante do projeto de extensão comenta:

Nesse contexto, as práticas artísticas edificam-se como ferramentas de entretenimento e relaxamento. E dentro deste campo a música demonstra um relevante efeito terapêutico. Pois a nível psicológico somos influenciados pelos acordes musicais, tons maiores ou menores podem nos remeter lembranças e intensificar ou amenizar estados de ânimo. Uma melodia é capaz de estimular os circuitos neuronais de recompensa ao liberar neurotransmissores associados à sensação de prazer e bem estar (Venâncio, Tatiana. 2014). Os padrões sonoros e as frequências tem uma ação rápida e ampla no cérebro, como demonstrou Oliver Sacks, em seu estudo sobre pacientes com Parkinson (Côrte, Beltrina, & Lodovici Neto, Pedro. 2009; Sacks, O. 2013).

Você pode conferir mais detalhes sobre o projeto pelo site de comissão de Cultura ou também pelo Facebook. Brenno também disponibilizou um link de um vídeo de uma das estudantes, Giovana Scheffer, em que ela toca Gertrude’s Dream Waltz, de Ludwig Van Beethoven.

Reportagem de Alexandre Azevedo Perich (ASCOM – CT).

ALEXANDRE AZEVEDO PERICH

ALEXANDRE AZEVEDO PERICH

Aluno do curso Bacharelado em Comunicação Organizacional na UTFPR. Assessor de comunicação do campus Curitiba da UTFPR e Fotógrafo desde 2013.