Uma rodada de Ciência, por favor!

A noite deste dia 20 foi bem servida de ciência. Em diferentes bares da cidade, tivemos as primeiras palestras dos 3 dias de Pint of Science, evento mundial que promove palestras de diferentes temáticas, no ambiente descontraído dos bares. Aqui em Curitiba, o Pint of Science acontece graças à organização de professores do campus Curitiba da UTFPR e da UFPR, bem como colaboradores externos.

Já como uma das seis primeiras conversas científicas promovidas, especificamente no We Are Bastards Pub, tivemos a palestra “Cidades Inteligentes, legislação nem tanto…”, ministrada por Keiko Verônica Ono Fonseca, professora do Departamento Acadêmico de Eletrônica (DAELN) e coordenadora de projetos internacionais da UTFPR.

No decorrer de sua fala, Keiko expôs as mudanças do dia-a-dia trazidas pelas tecnologias que impactam as cidades e as tornam verdadeiras “cidades inteligentes”. Do Uber aos patinetes elétricos, do transporte coletivo com energias alternativas ao planejamento das cidades com auxílio da internet, a professora apresentou ao público diversos exemplos adotados por outros países no sentido de regulação das novas tecnologias no meio urbano.

Público presente no We Are Bastards Pub
Foto: Maurini Souza

Durante a exposição dessas ideias, Keiko fez uma ressalva do importante papel das Universidades, pesquisas realizadas nelas, para o desenvolvimento das medidas de apoio às cidades inteligentes, junto com o, até então, difícil papel de articular junto às legislações, o resultado dos avanços realizados no meio acadêmico.

Professora Keiko Verônica
Foto: Maurini Souza

Ao fim da palestra, o público presente no local foi convidado e incentivado a se juntar à professora para que perguntas e comentários fossem feitos, ali mesmo, na mesa do bar em que estavam.

Público reunido após palestra

Em outro ponto da cidade, no Hop’n Roll Brewpub, quem tomou a frente para outra conversa científica, a convite do professor Ricardo Canute, do Departamento de Física (DAFIS) do campus Curitiba, foi Letusa Albrecht, doutora em Biologia da Relação Patógeno-Hospedeiro e pesquisadora do Instituto Carlos Chagas – Fiocruz, que ministrou a palestra “Prevenir é melhor que remediar, vamos todos vacinar!”.

Para contextualizar o público, Letusa trouxe, logo no início, um breve histórico do uso da vacina no mundo: da criação da primeira até os dias atuais. Em seguida, foram apresentados os diferentes tipos de vacinas desenvolvidas para determinados tipos de patógenos junto com uma breve explicação sobre cada uma delas.

Letusa Albrecht durante a palestra
Foto: Jean Carlo

Ainda durante a palestra, dados relacionados à vacinação foram apresentados e conseguinte foi falado sobre a parcela da população que se opõe ao uso de vacinas, comumente chamados de “antivacs”. Como uma medida de conscientização, Letusa incentivou o público a apresentar dados oficiais de vacinação para os não adeptos, para ressaltar a importância vital de se vacinar.

Público presente no Hop’n Roll
Foto: Jean Carlo

No decorrer de toda a conversa, houve interação direta do público com a palestrante, onde comentários e perguntas foram feitas, e ao final, os presentes no local foram convidados a se juntar à mesa da pesquisadora para que prosseguisse os diálogos.

Questionada sobre a experiência de participar do Pint of Science, Letusa disse que achou fantástico e complementa “É super importante a gente trazer nosso trabalho, nossa informação, a qualquer pessoa, E trazer isso pra mesa do bar é super agradável, é descontraído, dá vontade de continuar falando.”

Foto: Divulgação

O Pint of Science continua hoje (21) e amanhã (22), e a programação completa com locais, temas e horários, bem como informações sobre os palestrantes, você encontra no endereço eletrônico https://pintofscience.com.br/events/curitiba. Um brinde à ciência!

Reportagem: Rodolfo do Egito ASCOM-ct