A situação atual do campus Curitiba. Um relato sincero

Não estamos trabalhando na normalidade. Em maio de 2019, o Ministério da Educação, mantenedor das Universidades Públicas brasileiras, anunciou uma intervenção com limites de gastos (contingenciamento) substancial nos recursos. Na UTFPR, essa intervenção restringiria em 36,25% o nosso planejamento de aplicação de verbas de custeio. Como maior campus da instituição – representamos cerca de 32% na matriz baseada no número de alunos – o campus Curitiba precisou promover uma revisão de seu plano e reestruturação de suas atividades.

Mesmo assim, não conseguimos restringir o suficiente caso o corte se efetive.  Até aqui, cumprimos todos os nossos compromissos. O maior problema é, no momento, a insegurança quanto aos valores com que podemos contar, pois não temos, até agora, a confirmação da verba que nos será repassada até o fim do ano – apesar de, mensalmente, termos recebido valores concernentes às despesas do mês chegando, até hoje, em um total de 58% do nosso orçamento anual. Se considerarmos um corte de 36,25%, resta-nos cerca de 6% até o fim do exercício, que está longe de alcançar nossas necessidades.

Apesar disso, temos esperança. Longe de esperarmos no vento, nossa esperança é fundamentada em três alicerces importantes:

  1. Em um trabalho sério, com cortes em que preservamos o essencial para a continuidade das atividades-fim no campus, conseguimos reduzir à metade a fissura de 36,25%. Neste sentido, conseguiremos concluir nossos trabalhos essenciais (“cortando na carne”) neste ano dentro de um orçamento 19% menor do que o inicial (estamos cientes de que, se vierem somente os 6%, necessitamos de mais 13%).
  2. Inicialmente, em informações extraoficiais, soubemos que a redução de valores será na casa dos 20% (receberemos, assim, 80% do orçamento inicial, o que nos anima e reduz muito o nosso dano). Bem recentemente, a imprensa passou a noticiar que o governo federal está desbloqueando R$ 8,30 bilhões para os Ministérios, dos quais R$ 1,99 bilhões serão destinados ao Ministério da Educação.
  3. Como campus mais antigo e maior da UTFPR, composto por três sedes distantes entre si de 11 a 13 km, sabemos que nossa situação é a mais crítica. A tradicional sede Centro é um prédio histórico de mais de 80 anos, que exige manutenção diária nos mais diferentes aspectos; sem imaginarmos que haveria cortes neste ano, investimos em algumas reformas imprescindíveis, inseridas em nosso orçamento de forma planejada, para que pudéssemos oferecer uma estrutura cada vez mais segura e funcional a nossa comunidade. A sede Ecoville é composta por edificações mais novas e modernas, mas que, infelizmente, apresentam problemas estruturais que exigem melhorias – durante a última chuva torrencial que assolou a Região Metropolitana de Curitiba, essa sede foi tremendamente assolada, assim como em inúmeros outros locais da cidade, mas os nossos prejuízos na infraestrutura física são de nossa responsabilidade e precisamos cobri-los. Além disso, nossa terceira sede, CIC-Neoville, que carrega um potencial, inclusive, de geração de renda para o campus, necessita ainda de um investimento considerável para poder caminhar. É um “grande e belo bebê”, sabemos que será orgulho para a Educação Pública em nosso país, mas hoje, exige de nós o sustento.

Neste sentido, confiamos que haverá, diante das inerentes dificuldades impostas pelo prazo exíguo para os devidos repasses desde o Ministério da Economia, passando pelo Ministério da Educação, Secretaria da Educação Superior e Reitoria, até chegar ao Campus, com as devidas readequações internas nos processos legais, um empenho de toda a UTFPR, por meio de seus órgãos máximos de gestão – Reitoria e COUNI – de levarem nossa situação ao Governo Federal e solicitarem a solução para que todos nossos empenhos sejam honrados.

Esta é a forma mais sincera que trazemos nossa situação. Precisamos nos unir em trabalho e amizade; entender que passamos por momentos difíceis, mas não são os primeiros e que a Universidade Pública é motivo de orgulho para todos nós, que conhecemos nosso fazer. O campus Curitiba é a união de todos nós, tão diferentes, mas que acreditamos que o ensino, a pesquisa e a extensão produzidos aqui são fundamentais para que o Brasil seja o país que queremos.

Marcos Schiefler Filho

Diretor-geral do campus Curitiba da UTFPR (gestão 2018-2021) e Equipe Diretiva

Marcos Flavio de Oliveira Schiefler Filho

Marcos Flavio de Oliveira Schiefler Filho

Diretor do campus Curitiba da UTFPR.