SEBRAE e UTFPR firmam parceria na produções dos TCC’s de estudantes de Engenharia

Na última terça-feira (16), a emissora Rede Vida esteve presente no campus Curitiba da UTFPR para fazer uma reportagem sobre os trabalhos de conclusão dos cursos de Engenharia de Controle e Automação e Engenharia Elétrica da UTFPR, ambos feitos sob orientação de Roberto Candido, professor pelo Departamento Acadêmico de Eletrotécnica (DAELT). 

Na lista de trabalhos apresentados estavam: 

  • Automação no agronegócio de pequeno porte: automatização da irrigação em cultivo de morango. Integrantes do grupo: Felipe Luis Braga, Maurício Rangel Dos Santos e Ricardo Pacheco Leal Junior 
  • Automação no agronegócio de pequeno porte: protótipo para seleção de morangos com uso de visão computacional e inteligência artificial. Integrantes do grupo: Alex Torezin Mendonça e Geovani Torezin Mendonça 
  • Automação no agronegócio de pequeno porte: equipamento para higienização de morangos. Integrantes do grupo: Eduardo Farias De Oliveira, Leonardo Moura de Abreu e Letícia Baleiro
  • Automação no agronegócio de pequeno porte: dispositivo para pesagem e empacotamento na cadeia produtiva de morango. Integrantes do grupo: Andressa Emy Tsujii, Rafael Toshiaki Saito e Ricardo Shiniti Futida Mori Cordialmente, os discentes.
  • Autossuficiência energética para produção de morangos usando painéis solares.  

Maria Isabel Rosa Guimarães, consultora do Sebrae/PR, e que tem o trabalho voltado para a área do agronegócio, contou como surgiu essa parceria com o campus Curitiba da UTFPR: “eu atendo os produtores rurais aqui da região metropolitana e eles têm algumas dificuldades e alguns problemas na produção. E nisso, conversando com o professor Roberto Candido, comentei com ele sobre as necessidades e ele se ofereceu para fazermos um trabalho juntos”.

Os trabalhos, segundo Maria, começaram com um processo de observação dos problemas que deveriam ser resolvidos. “Eu levei alunos para Guaraqueçaba, que foi o primeiro lugar onde eles foram ver a produção de mandioca e de farinha de mandioca. Em seguida levei eles em São José dos Pinhais para conhecer a produção de morangos, então eles perceberam que tinha muito mais a ver com eles essa produção, porque era tudo novidade. A partir disso, eles me fizeram a proposta de 5 TCC’s para solução dos problemas dos morangueiros”

A consultora afirma que foi primeira vez que o Sebrae fez uma parceria deste gênero com estudantes e, para ela, “foi fantástico, não tenho dúvida que isso é uma coisa que não pode parar. Dá para colocar outros cursos juntos; eu acredito nesse trabalho e acho que nós podemos dar continuidade. A universidade tem muita mais coisa em outras áreas que a gente desconhece e elas podem levar soluções para esses pequenos negócios”. E conclui “não só pensando no produtor rural, mas também daqui estão saindo futuros empreendedores; pessoas que estão se formando e que ao invés deles serem funcionários de uma empresa, eles podem abrir o seu próprio negócio. Então esses alunos  também poderão ser clientes do Sebrae em negócios”

Importância desta parceria

De acordo Roberto Cândido, professor do DAELT e orientador dos TCC’S esta parceira com o Sebrae é importante por vários motivos: “Primeiro é que os alunos tenham a possibilidade do desenvolvimento de seus TCC’s dentro de uma demanda real, então o Sebrae, com as suas atividades, levantou com os  produtores ações de desenvolvimento de tecnologias que lhes atendessem, então os alunos conseguem suprir a necessidade desses produtores com os conhecimentos que eles adquiriram na universidade; o segundo ponto é a interdisciplinaridade, porque os alunos, no momento da escolha dos TCC’s, não têm a dimensão do quanto eles sabem e conhecem além de quantas coisas eles podem fazer com o que eles já aprenderam. Certamente um aluno do 6º, 7º, 8º período não poderia imaginar que ele pode aplicar Engenharia Elétrica ou Engenharia de Controle e Automação na produção de morango, então isso faz com se abra novos mercados e novas possibilidades profissionais”. 

Além disso, Roberto afirma que “esses TCC’s quando chegam num ponto de um protótipo eles estão a um passo de virar um negócio, então para os alunos talvez seja a oportunidade deles pensarem um pouquinho diferente ‘eu saio da universidade e vou procurar emprego, não, além de procurar emprego eu posso ter uma outra opção, abrir o meu próprio negócio’. Essa parceria com o Sebrae para a universidade abre muitas possibilidades” e completa “outro ponto interessante é justamente você atender um segmento da sociedade que tem deficiência no uso de tecnologia, os produtores de agricultura familiar, que são importantes economicamente para o país. Nesse sentido, você está abrindo uma nova vertente de atendimento pelos alunos”.

Reportagem: Bárbara Nunes ASCOM-ct