Lançamento de livro lota auditório no Ecoville

Lotadasso!!! Diriam estudantes sobre o lançamento, na manhã de hoje, no auditório do bloco B da sede Ecoville do campus Curitiba da UTFPR, do livro Conflitos Urbanos em Curitiba, produzido pela parceria entre as universidades federais do Estado (UFPR e UTFPR). A coordenação do trabalho, na UTFPR, é de Simone Polli, do Departamento Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo (DEAAU) e, na UFPR, de José Ricardo de Faria, professor do Departamento de Transportes; a obra ainda contou, como organizadores, com Maurini de Souza, professora do Departamento Acadêmico de Linguagem e Comunicação (DALIC-UTFPR), e Ramon Gusso (UFPR/ Positivo); todos Doutores nas áreas compreendidas pela publicação.

Na abertura do evento, Simone Polli apresentou o LUPA, Laboratório de Urbanismo e Paisagismo do DEAAU, e sua importância para as pesquisas do setor; Maurini de Souza introduziu a reflexão sobre Conflitos em que se pautam os autores: como o oposto de Silêncio/Silenciamento e não de Paz. Polli estendeu o assunto, trazendo dados sobre os temas que conduzem os conflitos por uma cidade mais participativa; também informou que a origem desse formato de pesquisa não é inédito, mas possui referentes em outros espaços acadêmicos no Brasil e no exterior. Ao final de sua apresentação, explicou sobre a organização do livro e metodologias apresentadas.

Após as organizadoras, os autores Maurini de Souza, Gustavo Batista Machado, Aline Gomes de Holanda, Simone Polli, Johanne de Medeiros Lourenço e Débora Follador deram prosseguimento ao evento, falando sobre seus capítulos. Maurini apresenta a temática da cobertura jornalística de manifestações; Gustavo demonstra as motivações das pesquisas e tabelas sobre as diferentes causas de manifestação em Curitiba e região Metropolitana desde 2012; Aline e Simone explicaram a importância das lutas por moradia, segunda maior ocorrência de manifestações no universo estudado; Johanne e Débora trataram, em seu capítulo, da apropriação de marcos históricos pelas manifestações feministas. Em estudos sobre território e gênero, apresentam que, socialmente, ao homem é reservado o espaço público e à mulher, o espaço privado (dentro de casa), sob a proposta teórica de Lynch e Tilli.

Débora Follador, ainda, trouxe à tona questões relativas à produção do livro, ressaltando o empenho de Simone Polli para essa produção. Na sequência, houve um período para perguntas e comentários, que contou com a participação de vários presentes, com diversos temas relativos ao assunto sendo levantados. Dentre esses, o da participação de novos alunos no grupo de pesquisa do DEAAU; os interessados, podem procurar, no Lupa, sede Ecoville, pelos componentes do grupo para se inserirem.

Fotos de Márcia Prestes e Maurini de Souza