Estudantes de Comunicação Organizacional promovem BeAtitude

No dia 03 de junho, no campus Curitiba da UTFPR aconteceu o evento BeAtitude desenvolvido pelo 5° período do curso de Comunicação Organizacional. Esse evento teve como objetivo trazer o bem estar para os estudantes no cotidiano; contou com palestras, meditação, fitdance, cantinho de dormir e primeiros socorros”. A equipe gestora foi por formada por Amanda Mendes, Andréa Tiemi Kobayashi, Flavia Santos de Castro, Geisa Costa, Rhuan Iasino e Ubiratan Martins Junior.

Ricardo Manica, professor do Departamento Acadêmico de Gestão e Economia (DAGEE) que ministra a disciplina de Elaboração e Gestão de projetos há aproximadamente três anos, relata que “trabalho uma didática de primeiro fazer os alunos terem uma ideia de projeto e então venderem essa ideia para o restante da turma e depois a turma toda acaba sendo participante na execução do mesmo. Então a cada novo semestre os alunos acabam desenvolvendo e escolhendo um projeto”.

De acordo com o professor, “a escolha se dá por alguns requisitos, então por exemplo, os alunos apresentam o escopo do projeto e qual será a dificuldade de executar ou de implementar o projeto, quais seriam os critérios de qualidade e a viabilidade em termos de orçamentos, apresentam um breve orçamento do que seria necessário para a execução. Então seguindo o guia do Project Management Body of Knowledge (PMBOK) e dentro do que o guia preconiza eles acabam fazendo as apresentações. E a equipe é escolhida por meio de votação ou por pontuação, e assim é definindo qual projeto que vai ser executado durante do semestre”.

O professor permanece isento nas escolhas “a escolha estruturação do projeto é inteira da turma. Eu só me envolvo na questão da mediar alguns assuntos. Mas são eles que acabam definindo e executando todo o projeto. Tanto que a gente faz alguns seminários antes do início da execução do projeto para que eles tenham uma visão geral de todo conceito e depois seja aplicado no projeto que eles escolheram”.

E, a respeito da mensuração e da efetividade do projeto, Ricardo Manica relata que são definidos alguns aspectos como “critérios de qualidade, por exemplo, que podem ser números de inscritos, requisitos mínimos para a execução da atividade, então tudo isso é pontuado. E os alunos ao final da execução fazem uma reunião de feedback de avaliação, para ver se os requisitos foram alcançados e atendidos durante a execução do projeto”.

Amanda Mendes, estudante de Comunicação Organizacional e diretora da equipe gestora conta como foi feita a escolha do tema  “o projeto nasceu da nossa vontade de fazer alguma coisa diferente dentro da universidade e trazer uma experiência diferente para a galera que está aqui todos os dias, então decidimos aliar a saúde mental, física, emocional tudo em dia só. Como se fosse um dia do desafio”. E completa “então a gente aliou tudo isso e começamos a ir atrás de parceiros para dar essa aulas. Toda a nossa programação da semana foi feita 100% por trabalho voluntário, então os instrutores e os palestrantes que se disponibilizaram a vir até aqui ajudar acreditaram na causa e ai está rolando o nosso evento hoje”, afirma a estudante.

Reportagem de Bárbara Nunes