DADIN desenvolve joias baseadas na cultura negra brasileira em impressora 3D

Fernanda Botter e Ana Lúcia da Silva Araújo Vörös, professoras do Departamento Acadêmico de Desenho Industrial (DADIN) do campus Curitiba da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), juntamente com as orientandas Érica Ferreira, Ana Stephanie, Jaqueline Melnick e Julia Batista, estão trabalhando, em um Programa Institucional de Iniciação Científica (PIBIC), na fabricação de joias em impressora 3D.

“O objetivo é investigar técnicas representativas aplicadas para projeto, contextualizando em algo histórico e (…) trazer visibilidade para a cultura brasileira”, relata Fernanda Botter. Como objeto de estudo, foram escolhidas as Joias de Crioula.

Após diversas pesquisas das alunas sobre o conteúdo principal, “Joalheria Afro-Brasileira do Período Colonial”, elas notaram como os termos “Joias” e Crioula” apareciam em diversos artigos relacionados ao assunto. Depois de uma discussão com a equipe de pesquisa, foi escolhido o tema “As Joias de Crioula”. A inspiração para as joias serão os balangandãs usados pelas mulheres afro-brasileiras que viviam no Brasil entre os séculos XVIII e XIX. 

O projeto, que tem como tema “Processos Criativos Para Modelagem e Fabricação de Artefatos de Moda Utilizando Impressora 3D”, começou em 2018 e está previsto para finalizar em 2021; ele conta com alguns processos, como: desenhos à mão, modelagens com massinhas, mockups em papel e desenhos digitais.

Fernanda ainda conta que o mais importante dessa Iniciação Científica, é a valorização dos profissionais do Design enquanto pensadores através do processo do projeto.

Reportagem de: Anna Carazzai e Scheilla Godioso

Scheilla Godioso

Scheilla Godioso

Estudante do curso de Bacharelado em Comunicação Organizacional da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e estagiária da Assessoria de Comunicação e Marketing (ASCOM) do campus Curitiba da UTFPR.