Aberto processo de avaliação do docente pelo discente no campus Curitiba

Na última terça-feira (05/11), foi aberta a avaliação do docente pelo discente referente ao 2º semestre de 2019, que deverá ser realizada até o dia cinco de dezembro. Essa avaliação possibilita a participação estudantil no acompanhamento e conhecimento da qualidade dos cursos, com o objetivo de auxiliar na constante busca pela melhora do ensino no campus Curitiba da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

O presidente da Comissão de Ética da UTFPR, Ivan Matos Canone, ressalta a importância de ser realizada a avaliação do docente pelo discente, uma vez que quando a Comissão recebe uma denúncia sobre algum servidor, por exemplo, será realizada uma vistoria de todos os comentários a respeito de tal servidor. Segundo o presidente, “é preciso que, realmente, os alunos se manifestem nessas avaliações”. Ele ressalta, ainda, que os alunos necessitam ter conhecimento do conteúdo programático e da ementa da disciplina, para que, ao final do semestre, consigam avaliar se o professor cumpriu o que foi proposto ou não.

Dessa forma, Canone chama atenção para a força que os estudantes têm, e quando utilizada de forma sábia, e em conjunto, pode efetivar reais melhoras na metodologia, visando sempre a evolução do ensino e o bom relacionamento ético.

Como funciona uma denúncia ética?

A Comissão de Ética da UTFPR atua na conscientização da comunidade com o intuito de diminuir, ou cessar, as ocorrências de irregularidades éticas. Para isso, um dos mecanismos utilizados pela Comissão é a de recebimento de denúncias, as quais a comunidade pode realizar por meio de um formulário disponível no site.

O discente ou servidor realiza a descrição da conduta; a apresentação dos elementos de prova ou indicação de onde podem ser encontrados, e, se possível, a indicação da autoria de alguma ação que possa ser enquadrada como fora dos padrões éticos. Feito isto, o denunciante envia o formulário para o e-mail etica@utfpr.edu.br, e aguarda a realização dos trâmites.

Importante salientar que nem toda ação enviada à Comissão de Ética será processada como uma ação de viés ético, porque pode ser um problema apenas de cunho administrativo. Com o objetivo de esclarecer essa distinção, Canone explicou que a irregularidade ética atua no princípio da moral, enquanto a irregularidade administrativa atua no princípio de ações contrárias a regulamentos, normas e diretrizes institucionais legislado pela Lei 8.112/1990 que é o regime jurídico do servidor”.

Se a denúncia é aceita pela Comissão como uma irregularidade ética, ocorre a análise da descrição realizada pelo denunciante; depois é tomada uma decisão referente à ação e, ao final, a sanção é sugerida para o reitor da Universidade, o qual decide por executar ou não a sanção proposta.

Vale reforçar que o objetivo central da Comissão de Ética da UTFPR é a de conscientizar a comunidade, sendo assim, o instrumento principal utilizado é a elaboração de seminários no campus, abordando o tema e o aproximando dos servidores e estudantes.

Reportagem de Kaissa Frade – Estudante de Comunicação Organizacional