Projeto RECORE no campus Curitiba: Relaxamento-Conexão-Ressignificação

Todos os anos, diversas universidades brasileiras possuem altos registros de casos de depressão e suicídio entre os alunos no ensino superior. Esse número vem aumentando cada vez mais, e isso preocupa as instituições de ensino. Tendo esse motivo como justificativa, a instituição Visão Futuro criou o projeto RECORE: Relaxamento-Conexão-Ressignificação para ser implementado em universidades de todo o país.

O projeto procura trazer qualidade de vida e bem-estar mental dos estudantes, com atividades relacionadas a serviços para a comunidade, cidadania e integração.

O plano do RECORE prevê uma duração de nove meses (de março até novembro) e, na UTFPR, o projeto tem como responsável a professora Isabel Maria de Melo Borba, do curso de Arquitetura e Urbanismo. Isabel informou que, brevemente, as ações estarão sendo desenvolvidas.

A proposta de implantação do projeto prevê as seguintes etapas:

1 – Palestra inicial com o tema “Gerenciamento do Estresse e Equilíbrio”;

2 – Treinamento de duas turmas, de 40 estudantes cada, que irão estudar, conhecer e aprofundar os seguintes módulos: Stress a Seu Favor, Equilíbrio Emocional, Neurobiologia Interpessoal, Escuta Empática, Resiliência e Meta Maior;

3 – Após esse período, que irá durar algumas semanas, os acadêmicos que participaram dessa primeira etapa vão dar continuidade replicando os conhecimentos para outros alunos;

4 – Para isso ocorrer com sucesso, esses estudantes passarão por capacitações ministradas por profissionais do Instituto Visão Futuro;

5 – Após tudo isso, serão recolhidos os dados para análise;

6 – Depois, será realizada a Feira de Bem-Estar na Universidade, que promoverá as técnicas aprendidas com a comunidade acadêmica;

7 – Por fim, cada estudante deverá disseminar os conhecimentos e práticas para a comunidade externa à universidade.

É importante que professores da UTFPR apoiem a causa, com o intuito de prevenir os casos de suicídio, além da alta taxa de depressão e doenças psicológicas que afetam os estudantes.

Giovanna Dal Santo (COMORG – DALIC)

Deixe uma resposta